Portugal de que é que estás à espera?

Afinal quem é o FMI

foto: Pedro Sousa Filipe
foto: Pedro Sousa Filipe

Hoje, 1 de Abril de 2011, dia das petas.

Portugal um país sem governo, sem travões e sem soluções. Um país em que o presidente da República em funções aufere uma reforma e não um salário pelo cargo que exerge porque este é inferior que aquela.

O exemplo jamais vem de cima, vem de baixo.

Vem de cada um a votar como deve ser. A votar, a expressar-se, para não se tornar num queixoso a posteriori. Mas desta vez quero que mude. Quero que cada deputado, que me representa como cidadão, realmente me represente. Quero que ele não veja o lugar eleito como um luxo, que não tenha luxos – nada de carros, nada de condutores ao dispor, nada de despesas de alimentação e transporte desajustadas, nada de viagens em primeira classe, nada de contas enormes de telemóvel pagas, nada de secretárias e assessores – porque ele é a minha representação na tomada de decisões.

Basta de mordomias e exageros de dinheiro. Basta, não estamos para isso.

Não quero gente parva que não percebe o verdadeiro funcionamento do FMI, esse papão.

Como qualquer empresa que não quer despesa, o FMI não é nenhum santo milagreiro, nenhum amigo que vem dar uns trocos e depois pagas, não vem melhorar o país, não vem dar dinheiro; vem trazer uma falsa tranquilidade. Apenas vai fazer com que mais dívida seja comprada a juros ainda maiores, aumentando, portanto, a nossa dívida. E sempre foi este o funcionamento do FMI.

O FMI auto proclama-se como uma organização de 187 países, trabalhando por uma cooperação monetária global, assegurar estabilidade financeira, facilitar o comércio internacional, promover altos níveis de emprego e desenvolvimento económico sustentável, além de reduzir a pobreza. (link)

Diz ser promotor de altos níveis de emprego, desenvolvimento económico sustentável e redutor da pobreza. Estes são alguns dos países que mais devem a este fundo: Síria, Indonésia, Sudão, Zaire, República do Congo, Somália, … Algum factor comum aqui?

Ai Portugal, Portugal, de que é que estás à espera?