Já caiu o Carmo e a Trindade

Amor Electro, um revolucionário ajuntamento musical.

foto: João Bacelar
foto: João Bacelar

Quando se diz que toda a música já foi feita, já foi inventada, há sempre alguém que aparece e nos surpreende com novas sonoridades. Pegando em letras já ouvidas, mudando os instrumentos, adicionando a sua voz e o seu cunho interpretativo, e já está, cai o Carmo e a Trindade.

Amor Electro, um ajuntamento de músicos portugueses liderado por Marisa Pinto (ex Donna Maria) faz (re)ouvir os clássicos portugueses de Ornatos Violeta, GNR, Amália, Sétima Legião… Contam, também, com a presença de Tiago Pais Dias (colaboração com The Gift/Amália Hoje), Ricardo Vasconcelos (ligado ao jazz), Ricardo Mechena (baixista dos Homens da Luta). O álbum, Cai o Carmo e a Trindade conta também com a participação de Jorge Cruz, dos Diabo na Cruz.

A meu ver, sempre que músicos portugueses mudam um pouco o seu trajecto profissional e se juntam formando um novo projecto, o resultado é no mínimo surpreendente. No entanto, e no que tem vindo a ser regra, estes projectos tendem a finalizar-se tão rapidamente como se criaram. Por mim, irei segui-los por um tempo, parece-me um projecto interessante, gostei.

comments powered by Disqus